Relógio de Pulso

O relógio de pulso

Nos anos anteriores a 1904, os relógios de pulso já eram utilizados por mulheres, como um adereço que podia ser comprado sob encomenda.

Conta-se que Santos Dumont solicitou ao seu amigo e joalheiro Louis Cartier um relógio masculino que ficasse preso ao pulso, para que ele pudesse cronometrar o tempo em suas experiências com a aviação.

A partir da criação de Cartier para Santos Dumont no ano de 1904, os relógios de pulso se tornaram um equipamento de uso entre os homens.

Mas somente com a Primeira Guerra Mundial que os relógios de pulso se popularizaram de vez entre o público masculino, porque os soldados necessitavam dos relógios para chegar nos locais combinados com a máxima precisão possível.

O fato é que os relógios são imprescindíveis na atualidade, regendo nosso horário de trabalho, e nossos horários de descanso. E que independente do modelo utilizado, todos nós estamos sempre cercados por esse equipamento que acompanha a história humana a tantas décadas.

Relógio Biológico

Ao longo de nossas vidas todos nós já ouvimos a expressão “relógio biológico”, mas muitas vezes o significado dessa expressão passa despercebido, no entanto, entender o funcionamento do relógio biológico pode ser essencial para melhorar sua qualidade de vida.

O que é relógio biológico?

Todo ser humano possui um ciclo de horas em atividade e horas destinadas ao descanso. Esse ciclo está ajustado de acordo com o período do dia: diurno e noturno.

Casa espécie adapta o seu ciclo de horas de acordo com suas necessidades, até mesmo os animais selvagens precisam dessa adaptação para se alimentarem e se protegerem de predadores.

Os humanos geralmente despertam com a luminosidade do período diurno, e sentem sonolência no período noturno.

Funcionamento do relógio biológico

O relógio biológico regula os horários em que dormimos e acordamos. Mas ele também sofre influência de acordo com a idade da pessoa. Nos primeiros anos de vida, a tendência é que as pessoas acordem cedo e durmam cedo.

Mas ao chegar na fase dos 10 anos de idade, é comum que esse relógio biológico se altere e o indivíduo passe a dormir mais tarde e acordar mais tarde.

Essa fase dura em média até os 20 anos, quando se passa a dormir ligeiramente mais cedo, e acordar mais cedo também.

Mas não é só o sono que é alterado pelo relógio biológico! Na realidade esse sistema controla diversas funções do nosso corpo, e com o passar das horas do dia forma-se um ciclo de 24 horas que se encerra e recomeça do início regulando assim todo o funcionamento do corpo.

O que influencia o relógio biológico?

Como dito anteriormente, a idade é um dos fatores que altera o funcionamento do relógio biológico. Outros fatores que causam alterações significantes são: alterações hormonais, fatores genéticos e luminosidade.

Como lidar com o relógio biológico?

Brigar com as questões regulatórias do funcionamento do seu próprio corpo não parece a melhor ideia não é mesmo? Não é um total hiit.

Você já deve ter percebido que algumas pessoas “funcionam melhor” no período noturno, certo? E a adaptação a questões como rotina de estudos e de trabalho para essas pessoas precisa ser levada a sério.

Um dos grandes problemas percebidos nessa questão é que quando pais têm filhos adolescentes que preferem trocar a noite pelo dia, a família acaba não sabendo como lidar, e se esse adolescente estudar no período matinal, percebe-se a diminuição de rendimento escolar.

Como em todas as questões que envolvem criar um filho, é preciso observar o comportamento de seu filho e conversar sobre, para que juntos consigam efetuar melhorias.

Procurar entender a falta de sono noturna, realizar um check-up médico e procurar soluções para adaptar a rotina do adolescente de modo que o sono não atrapalhe o rendimento durante o dia.

  • Mas e as pessoas que já passaram da adolescência e continuam preferindo trocar o dia pela noite?

Se é o seu caso, é preciso observar o seu comportamento!

  1. Perceba quais atitudes te deixam mais agitado no período noturno e evite-as;
  2. Evite luminosidade no quarto;
  3. Pratique exercícios físicos: uma boa sugestão é o programa de treinos total hiit Thiago Pugliesi
  4. Desligue o celular ao menos 30 minutos antes da hora em que planeja estar dormindo;
  5. Procure ter uma rotina com horário definido para dormir;

Procure aplicar essas dicas para melhorar sua qualidade de vida, se mesmo assim a ausência do sono permanecer é preciso consultar um médico para avaliar seu caso individualmente.

Diferentes tipos de relógios – Parte 2

Relógio de Pulso

É o modelo mais comum de se encontrar na atualidade. Os relógios de pulso podem ser analógicos, digitais ou analógico-digital.

Costumam funcionar a base de baterias que precisam ser trocadas periodicamente. O modelo é um dos que menos apresenta falhas de funcionamento, desde que a bateria esteja funcionando adequadamente.

Relógio de Bolso

O primeiro relógio de bolso surgiu por volta do ano de 1500, quando Nuremberg inventou o equipamento que era todo em ferro e seu funcionamento era a corda, o relógio de bolso permitia marcar 40 horas após dar a devida corda.

Com o passar dos anos o equipamento foi melhorado e até hoje é possível encontrar relógios de bolso à venda.

Relógio Digital

Quando pensamos em relógios de celulares, despertadores, e até mesmo relógios de pulso digitais, estamos falando de relógios que funcionam a partir do uso de energia elétrica. Sendo este um dos modelos mais recentes de relógio.

Atualmente, existem muitos colecionadores de relógios de pulso, que além de demarcar o horário, esses relógios são utilizados por muitos homens como uma peça para dar mais estilo e elegância ao visual. Alguns relógios são itens de grife, chegando a valer centenas de reais.

Se você também é apaixonado por relógios, certamente já conhecia um pouco da história desse item! Você se surpreendeu com a quantidade de modelos que já marcaram a história deste equipamento? Deixe seu comentário, me conta qual o seu modelo favorito?

Diferentes tipos de relógios – Parte 1

Os relógios estão presentes na rotina do homem desde os nossos ancestrais! Esse equipamento nem sempre foi como conhecemos hoje. Afinal, tudo tende a evoluir, mas para que houvesse essa evolução muitos tipos de relógio foram criados no passado.

E nem sempre os relógios foram tão precisos quanto na atualidade, até mesmo porque os modelos primitivos eram usados para demarcações de períodos mais curtos de tempo, sem a necessidade de informar cada segundo do dia.

Se você é apaixonado por relógios, certamente já conhece alguns dos modelos, mas será que conhece todos? Confira nossa seleção de tipos de relógios que fazem parte da história desse medidor de tempo tão comum e essencial em nossas vidas:

Relógio do Sol

Criado pelos povos babilônicos, o relógio do sol tinha a estrutura parecida ao que conhecemos hoje.

O relógio fica localizado em ponto estratégico do solo, de modo que com o movimento do sol as horas e minutos possam ser marcadas no relógio. O problema é que ao cair da noite o relógio deixava de ser útil.

Ampulheta

A ampulheta foi uma das primeiras formas portáteis de medição de tempo. A quantidade de horas que podem ser medidas na ampulheta varia de acordo com o modelo, pois dependendo do tamanho da ampulheta se dará a capacidade de medição.

O funcionamento é bastante simples. Mas é preciso saber com precisão qual a capacidade de medição do tempo do modelo que se está usando.

Relógio de Pêndulo

Como o próprio nome já diz, o modelo deste relógio conta com um pêndulo em sua base e ele vai caindo de acordo com a passagem das horas.

O pêndulo se move a partir da energia liberada pelos ponteiros do relógio.

História do Relógio

Todos os dias pautamos os momentos do nosso dia de acordo com o passar das horas em um relógio, afinal, os compromissos precisam ser realizados nos prazos determinados, e o relógio muitas vezes se torna nosso inimigo quando nos atrasamos.

O hábito de pautar nossa vida de acordo com os horários é tão natural, que sequer imaginamos a importância do relógio ao longo dos anos. Afinal, medir o tempo sempre foi uma necessidade vital para os homens.

Acredita-se que o primeiro relógio da história foi criado pelos povos babilônicos, mas este instrumento era limitado, porque utilizava o sol para marcar as horas, portanto, o equipamento não funcionava no período noturno.

O relógio solar criado pelos babilônicos se tornou uma referência para o surgimento de equipamentos mais desenvolvidos, e por volta de 600 a.C. surgiram as ampulhetas, ou também conhecidas como relógios de areia.

Alguns historiadores relatam que o primeiro relógio mecânico foi criado por um monge budista por volta de 750 a.C., mas não há consenso sobre essa informação, pois outros estudiosos afirmam que o primeiro relógio mecânico só surgiu no século XIII.

O que pode se afirmar com toda certeza é que nesse período mais inicial da criação de medidores de tempo, os equipamentos não eram extremamente precisos como hoje em dia.

Na realidade, os relógios eram utilizados com a finalidade de marcar o tempo de atividades específicas ou questões relativas a astrologia, por isso não demandavam tanta precisão.

A revolução industrial e a nossa relação com o tempo

No período da revolução industrial, se fazia necessário saber exatamente quantas horas os funcionários estavam trabalhando, para que o pagamento do trabalho deles fosse contabilizado corretamente.

A relação entre o salário e a quantidade de horas trabalhadas, realizou uma profunda mudança na forma como as pessoas passaram a se relacionar com o tempo.

O que acabou tornando o uso dos relógios cada vez mais imprescindível, fato este que pode ser percebido facilmente quando observamos que até os dias de hoje, aprender a ver as horas em um relógio faz parte da alfabetização infantil.